Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Activistas formam aerogerador frente ao Parlamento Europeu em defesa de projectos locais de energias renováveis

Quinta-feira, 07.11.13


Foto: FoE Europe [ver reportagem fotográfica]

Mais de 150 pessoas desenharam hoje uma turbina eólica gigante em frente ao Parlamento Europeu, em Bruxelas, para pedir mais apoio para os projectos locais de energias renováveis desenvolvidos pelas comunidades. A iniciativa pretendeu passar a mensagem de que os cidadãos e os projectos comunitários de energias renováveis devem estar no centro da política energética da Europa.

A acção realizou-se a poucos dias de mais uma ronda de negociações internacionais sobre o clima, que começa na segunda-feira, em Varsóvia, Polónia, e que as ONG consideram “mais uma oportunidade para os políticos da UE afastarem o actual sistema energético sujo que favorece os interesses das grandes corporações multinacionais de energia, e optarem por um novo sistema de energia descentralizado, limpo, e aberto a todos.

"Em toda a Europa as pessoas estão a assumir o poder de se envolver na produção da energia de que necessitam. O nosso aerogerador humano mostra que a energia comunitária é a resposta para a crise climática e energética, mas precisa do apoio dos governos. A UE deve mostrar o apoio claro a um futuro baseado em energias renováveis, definindo uma meta ambiciosa e vinculativa para 2030”, defendeu Magda Stoczkiewicz, directora dos Amigos da Terra Europa, uma das várias ONG envolvidas.

Foram também realizadas ações idênticas na Áustria, Espanha e Reino Unido (ver vídeos). [Fonte: CAN Europe]

Viena:

Londres:

Friends of the Earth – Human Wind Turbine at St Paul’s Cathedral, London from Friends of the Earth EWNI on Vimeo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Quercus às 16:10

Concentração de gases de efeito estufa atinge novo recorde em 2012

Quarta-feira, 06.11.13

As concentrações dos três principais gases de efeito de estufa atingiram níveis recorde em 2012, continuando a tendência dos últimos anos, alerta a Organização Meteorológica Mundial (OMM) no estudo anual sobre estes gases responsáveis pelas alterações climáticas. Os dados revelam que entre 1990 e 2012 houve um aumento de 32% na forçante radiativa – uma medida do efeito do aquecimento sobre o clima - por causa do dióxido de carbono (CO2) e de outros gases de longa duração que retêm o calor, como o metano e óxido nitroso.

Desde o início da era industrial, em 1750, a concentração média global de CO2 na atmosfera aumentou 41%, o metano 160% e o óxido nitroso 20%. "As observações da rede de vigilância da atmosfera da OMM mostram claramente, mais uma vez, como os gases de estufa originados em actividades humanas estão a perturbar o equilíbrio natural da nossa atmosfera e são um importante contributo para as alterações climáticas", diz o secretário-geral da OMM.

Michel Jarraud alerta que “de acordo com o IPCC (Painel Intergovernamental de Cientistas para as Alterações Climáticas), se continuarmos com o "business as usual", até ao final do século a temperatura média global pode subir até 4,6 graus acima dos níveis pré-industriais, ainda mais em algumas partes do mundo, o que teria consequências devastadoras”. Por isso, acrescenta, “limitar as alterações climáticas vai exigir reduções substanciais e sustentáveis das emissões dos gases de efeito estufa”. “Temos de agir agora, caso contrário, vamos comprometer o futuro dos nossos filhos, netos e muitas gerações futuras, porque o tempo não está do nosso lado", diz Jarraud. 

Principais gases de efeito de estufa: CO2, CH4 e N2O

O dióxido de carbono (CO2) é o principal gás de efeito estufa emitido pelas actividades humanas, como a queima de combustíveis fósseis e a desflorestação. De acordo com a OMM, a concentração global de CO2 na atmosfera atingiu as 393,1 partes por milhão (ppm) em 2012, ou 141% do nível pré-industrial de 278 ppm. Isto significa um aumento de 2,2 ppm entre 2011 e 2012, acima da média 2,02 ppm por ano para os últimos 10 anos, mostrando uma tendência de aceleração.

As concentrações mensais de CO2 observadas em 2012 ultrapassaram o valor simbólico de 400 ppm em várias estações de monitorização. Já este ano, as concentrações horárias e diárias também ultrapassaram este limiar em várias partes do mundo, como em Mauna Loa, no Havai, a mais antiga estação de medição atmosférica contínua no mundo, que é considerada como um local de referência na rede global de vigilância atmosférica. As concentrações de CO2 estão sujeitas a flutuações sazonais e regionais, mas ao ritmo actual de aumento, a concentração global deverá ultrapassar as 400 ppm em 2015 ou 2016.

O metano (CH4) é o segundo mais importante gás de efeito estufa de longa duração, com perto de 40% das emissões oriundas de fontes naturais, e cerca de 60% proveniente de actividades humanas como a pecuária, agricultura de arroz, a exploração de combustíveis fósseis, aterros e queima de biomassa. Em 2012, devido ao devido ao aumento das emissões de fontes antropogénicas, o metano atmosférico atingiu um novo recorde de cerca de 1.819 partes por mil milhões (ppb), ou 260% do nível pré-industrial. 

O óxido nitroso (N2O) é emitido para a atmosfera a partir de fontes naturais (cerca de 60%) e antropogénicas (aproximadamente 40%), incluindo oceanos, solo, queima de biomassa, uso de fertilizantes e vários processos industriais. Em 2012, aconcentração atmosférica foi de cerca de 325,1 ppb, mais 0,9 do que em 2011 e 120% do nível pré-industrial. O seu impacto sobre o clima, ao longo de um período de 100 anos, é 298 vezes maior do que emissões idênticas de dióxido de carbono. Também desempenha um papel importante na destruição da camada estratosférica de ozono que protege os seres vivos da radiação ultravioleta do sol.

O estudo da OMM refere as concentrações atmosféricas - e não as emissões - de gases de efeito estufa. As emissões representam o que vai para a atmosfera, enquanto as concentrações representam o que permanece na atmosfera após o complexo sistema de interacções entre a atmosfera, a biosfera e os oceanos. [Fonte: OMM]

Notícias:

Terra: Novo recorde em 2012 de concentração de gases do efeito estufa na atmosfera
Reuters: Volumes de gases do efeito estufa atingem novo recorde em 2012
RTP: Gases de efeito de estufa atingem recordes em 2012 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Quercus às 12:26

Connie Hedegaard: COP19 deve estabelecer calendário para acordo vinculativo em 2015

Terça-feira, 05.11.13

A comissária europeia para o Clima está satisfeita com a campanha "Um mundo que me agrade, com um clima de que goste" (#worldulike), que se centrou em cinco países, entre os quais Portugal, e que termina na quinta-feira, com o anúncio do projecto vencedor. “Ultrapassou as nossas expectativas, com o envolvimento de milhões de europeus”, disse esta tarde Connie Hedegaard (@CHedegaardEU) durante uma entrevista via Twitter.

Na iniciativa conduzida pelo The Climate Group (@ClimateGroup), a comissária europeia respondeu a 45 minutos de perguntas feitas através desta rede social, sobretudo relacionadas com a campanha e com a próxima ronda de negociações sobre alterações climáticas, na COP19, que começa no dia 11, na Polónia. “Para [um futuro acordo vinculativo em] 2015 é fundamental que em Varsóvia haja consenso sobre o calendário e que se comecem a discutir as questões mais difíceis”, disse. [ver entrevista integral - em inglês]

Notícia relacionada:
Concurso europeu distingue projecto "Pastagens Semeadas Biodiversas"

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Quercus às 19:26

Concurso europeu distingue projecto “Pastagens Semeadas Biodiversas”

Terça-feira, 05.11.13

O projecto “Pastagens Semeadas Biodiversas”, desenvolvido pela Terraprima – Serviços Ambientais, uma ‘spin-off’ do Instituto Superior Técnico, venceu a categoria nacional do concurso “Um mundo que me agrada”, da Comissão Europeia, e é um dos três finalistas europeus. O projecto, apoiado pelo Fundo Português de Carbono, visa aumentar a produtividade das pastagens, mas também ajudar a evitar as emissões de CO2, a reduzir a erosão e o risco de fogos florestais.

O concurso inseriu-se na campanha "Um mundo que me agrade, com um clima de que goste" (#worldulike), que envolve cinco países, e cujo vencedor europeu será anunciado na próxima quinta-feira. Nos outros quatro países, venceram os projectos “Comida para a Terra”, na Bulgária; "EASYHOME 4EQ", em Itália; Estúdio de design diferente «Ideia Absurda», na Lituânia; e “Habitações de baixo consumo energético para todos”, na Polónia. [Fonte: worldulike]

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Quercus às 17:14

Onda de calor do Verão de 2013 deixa mais 1684 mortos

Terça-feira, 05.11.13

Foto: CC Lykaestria 

A onda de calor do verão de 2013 resultou num aumento de mais de 30% na mortalidade, com 1684 óbitos acima dos valores esperados, revela um relatório da Unidade de Apoio à Autoridade de Saúde Nacional e à Gestão de Emergências em Saúde Pública, da Direcção-Geral de Saúde [ver PDF]. O documento, divulgado ontem, aponta que "a onda de calor a que Portugal continental esteve sujeito, de 23 de junho a 14 de julho, teve um impacto apreciável na saúde da população, com todos os indicadores estudados a registar acréscimos, com especial destaque para a mortalidade, em relação à qual foi estimado um excesso de óbitos superior a 30%."

Segundo a DGS, "observou-se um excesso de 1684 óbitos que correspondeu a um aumento relativo de 32%, com maior relevo nas mulheres (45%) em comparação com os homens (21%). Por grupo etário, apenas foi observado excesso de mortalidade significativo na população acima dos 75 anos de idade. Abaixo deste limiar da idade, foram observados excessos de mortalidade entre os 45 e os 74 anos, que não se revelaram estatisticamente significativos". 

A nível geográfico, estes excessos de mortalidade foram mais significativos no Norte (41%) e o Centro (36%). Esta onda de calor teve um impacto apreciável na mortalidade, situando-se, quando comparada com as ondas de calor que afetaram Portugal em 1981, 1991 e 2003, no terceiro lugar, atrás da onda de 1981 (1900 óbitos estimados), mas ultrapassando a onda de 1991 (1000 óbitos).

Durante o fenómeno climático térmico extremo houve um aumento da procura de cuidados médicos nos serviços de urgência, particularmente evidente no período de 3 a 15 de Julho, com picos máximos nos dias 1, 8 e 15, sendo o maior o do dia 8. Verificou-se, também, um acréscimo do total de chamadas para a linha Saúde 24 de 4,4% e, nas chamadas por “calor”, de 46,7 %, bem como uma subida de 27,8% no número total de ocorrências registadas pelo INEM (em relação ao mesmo período de 2012), com acréscimos percentuais significativos das ocorrências designadas por “alteração de estado de consciência” (42,4%) e “dispneia” (24,6%). 

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), ocorreu em Portugal continental uma onda de calor entre 22 e 30 de junho, em particular na região Centro, que variou entre 7 e 9 dias, seguida por novo fenómeno com início a 3 de julho, na região de Trás-os-Montes, que se prolongou até ao dia 13. O estudo conclui que "a preparação de medidas de informação e de proteção das populações, bem como a sua divulgação e ativação em tempo útil, perante a previsão de uma onda de calor, é da maior importância" para minimizar os efeitos destes fenómenos extremos na saúde e na mortalidade. [Fonte: DGS]

Notícias:

Correio da Manhã: Onda de calor em Portugal matou perto de 1700 pessoas
Expresso: Quase 1.700 mortos a mais no verão devido à onda de calor
PÚBLICO: Onda de calor no Verão fez quase 1700 mortos em Portugal 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Quercus às 13:46

Vem aí a décima nona COP sobre alterações climáticas

Sexta-feira, 01.11.13

 

COP19 é a designação dada à décima nona Conferência das Partes (COP) da Convenção-Quadro das Nações Unidas para as Alterações Climáticas (UNFCCC), que irá decorrer em Varsóvia, na Polónia, entre 11 e 22 de Novembro. O encontro inclui a realização da nona Conferência das Partes enquanto reunião das Partes do Protocolo de Quioto (CMP9) e deverá começar a preparar o caminho para um novo acordo internacional vinculativo a celebrar em 2015.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Quercus às 23:00


Pág. 4/4